domingo, 29 de julho de 2012

Santa Marta da Betânia - Festejada 29 de julho

As Escrituras contam que em seus poucos momentos de descanso Jesus procurava a casa de amigos em Betânia, local muito agradável há cerca de apenas quatro quilômetros de Jerusalém. Marta, Lázaro e Maria, três irmãos provavelmente filhos de Simão, o leproso, eram os seus solícitos hospedeiros. Poucas, mas importantíssimas são as referências a Santa Marta nas Sagradas Escrituras.
     É muito conhecido o episódio da primeira visita de Jesus a sua casa. Marta era a mais velha dos irmãos. Jesus conversava com eles e Maria estava aos seus pés ouvindo sua pregação. Marta, trabalhadora e responsável, se queixou da atitude da irmã, que nada fazia, apenas ouvindo o Mestre.
     Ela se queixa que Maria, “sentada aos pés do Senhor, escutava a sua palavra”, em vez de preparar a comida: “Senhor, não se Te dá que a minha irmã me deixe só a servir? Diz-lhe que me venha ajudar”. “Marta, Marta, respondeu Ele, andas inquieta e perturbada com muitas coisas; uma só é necessária. Maria escolheu a melhor parte, que lhe não será tirada”. (Lc. 10, 40-41).
     Os estudiosos das Escrituras veem nestas palavras do Divino Salvador um ensinamento dEle quanto à precedência da vida contemplativa à vida ativa.
     Quando da ressurreição de Lázaro, é ela quem mais fala com Jesus naquele momento tão comovente, que inclusive arrancou lágrimas do Salvador. Marta diz a Jesus: "Senhor, se tivesses estado aqui, o meu irmão não teria morrido. Mas mesmo agora, eu sei que tudo o que pedires a Deus, Deus dará". Jesus, que ressuscitaria Lázaro em seguida, responde: «Eu sou a Ressurreição e a Vida; quem crê em Mim, ainda que esteja morto, viverá» (Jo 11,21-25).
     A segunda resposta do Salvador como que suprime em nós o medo da morte e satisfaz todas as aspirações do nosso coração. E o milagre de reviver Lázaro, já morto e sepultado, solicitado com tamanha simplicidade por Marta, exemplifica a plena fé na omnipotência do Senhor.
     Outra passagem é a ceia de Betânia, com a presença de Lázaro ressuscitado, uma pré-figura da última ceia, pois ali Marta serve a mesa e Maria lava os pés de Jesus, gesto que Ele vai imitar em seu último encontro com os doze apóstolos na noite em que Ele instituiu a Sagrada Eucaristia e em que seria aprisionado.
     A devoção a Santa Marta nasceu na época das Cruzadas, na França, quando nela principiou a divulgar-se que toda a família da Betânia tinha vindo terminar os seus dias na Provença, Santa Marta mais precisamente na cidade de Tarascon, onde lhe foi atribuído estrangular a Tarasca, dragão fêmea que devorava os animais domésticos e as crianças. Foi o que levou os Tarasconenses de então a procurar as relíquias dela. E, julgando tê-las encontrado (1187), construíram uma igreja para guardá-las (1197) e tomaram a benfeitora dos seus antepassados como padroeira.
     Santa Marta é patrona das donas-de-casa e das cozinheiras.
     Os primeiros a dedicarem uma festa litúrgica a Santa Marta foram os frades franciscanos, em 1262, e escolheram o dia 29 de julho para sua celebração, dia que ainda hoje é guardado pela Santa Igreja em sua honra.
Betânia, Israel

Nenhum comentário:

Postar um comentário