sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Santa Maura de Troyes, Virgem leiga - 21 de setembro

    
     Maura nasceu em Troyes, região de Champagne, França. Era filha do nobre Maurano e da rica Sedulia. Seu irmão, Eutrópio, sacerdote, foi um eminente prelado de Troyes.

     Existe uma Vita contemporânea de Santa Maura, breve, mas confiável, escrita por São Prudêncio de Troyes (celebrado a 6 de abril), que baseia o seu relato em conversas mantidas com a mãe da Santa. Ele narra que desde a mais tenra idade Maura, que nasceu em 827, levou uma vida de intensa oração, completamente focada em Deus. Existem também escritos sobre ela em Goujet e Mezangui, Vidas dos Santos.
     Como seu irmão renunciara à sua parte na herança, Maura dispunha de um grande dote que utilizou para promover instituições voltadas para a assistência aos pobres. Preferiu entregar-se ao Senhor e não a um homem. Dizia ter quatro noivos: os Santos Apóstolos Pedro e Paulo, São Gervásio e São Protásio. Rezava para eles com frequência e mantinha igrejas a eles dedicadas.
     Com a oração e o exemplo, se bem que fosse ainda menina, converteu o pai, Maurano, que levava uma vida dissipada. Graças às advertências da filha mudou de vida e se converteu em pai honrado e virtuoso.
     Com sua caridade e devoção havia impelido o irmão, Eutrópio, a se tornar sacerdote e posteriormente bispo de Troyes. Maura entretanto continuou a viver junto à família onde passava o tempo rezando, ajudando a mãe e assistindo aos pobres e aos necessitados.
     Sua vida era planejada com esmero para desempenhar qualquer atividade e pontuada por atos de penitência: ela jejuava todas as quartas-feiras e sextas-feiras, por exemplo, e às vezes caminhava descalça pelos três ou quatro quilômetros que a separavam da Abadia de Mantenay, onde se encontrava com o santo abade que era seu diretor espiritual.
     A Santa passava longas horas na igreja, adorando a Deus e meditando sobre a Vida e a Paixão de Nosso Senhor. Naqueles momentos de adoração era frequente que lágrimas corressem dos olhos de Maura, refletindo seu amor, sua alegria e o encanto de seu relacionamento com o Deus escondido no sacrário.
     Era grande o seu entusiasmo ao costurar vestimentas sagradas, ao aparar as mechas das velas na igreja e preparar a cera das velas para o altar.
     Maura era muito humilde e procurava não atrair a atenção para os seus dons, embora fossem conhecidos vários milagres alcançados graças às suas orações.
     A Santa virgem faleceu em 21 de setembro de 850, com somente 23 anos de idade, após uma longa enfermidade. Ela recebeu a Extrema Unção e o Viático com extraordinárias demonstrações de alegria divina e de amor, recitando orações. Ela expirou quando eram ditas estas palavras: Venha a nós o vosso reino. Santa Maura foi sepultada em Château Nore de Troyes. Suas relíquias são veneradas em várias igrejas por toda a França.
 
Etimologia: Mauro (a), do latim Maurus, do grego, Mauros: “nativo da Mauritânia”; ou “pardo como um mouro”.
 

Um comentário:

  1. Como ela, carrego o mesmo nome. Pela Folhinha do Sagrado Coração de Jesus, descobri o dia a ela dedicado, 21 de setembro. Achei interessante sua biografia. Em Santa Catarina nasceu também uma grande poetisa de nome Maura de Senna Pereira. Tenho um irmão e um sobrinho de nome Mauro. Maura Soares, Florinópolis, SC

    ResponderExcluir