quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Madre Mariana de Jesus Torres, confidente de Nossa Senhora do Bom Sucesso – 2 de fevereiro

          
     Madre Mariana de Jesus Torres, religiosa espanhola do século XVI, é somente Serva de Deus e talvez por isso não se conhece muito sobre sua vida. Mas foi a ela que Nossa Senhora do Bom Sucesso apareceu, revelando-lhe eventos extraordinários que abalariam a Igreja nos tempos modernos – mais especificamente, no período do fim do século XIX a meados do século XX.
     Mariana Francisca, nasceu na Espanha em 1563 e foi uma alma eleita desde o berço. Um episódio particular de sua infância aponta a incomum virtude que ela já demonstrava: um incêndio que atingiu a igreja próxima à sua casa impedia-a de ir adorar Jesus Sacramentado, deixando-a desolada. Pouco tempo depois, ela recebeu a 1ª. Comunhão e, em uma visão mística, Jesus revelou-lhe a sua vocação religiosa. Sua vida foi um contato contínuo com o sobrenatural. As aparições de Nosso Senhor, de Sua Santa Mãe, de Santos e de demônios, eram-lhe frequentes
    Aos 13 anos de idade, com sua tia Madre Maria, religiosa concepcionista, e mais algumas outras religiosas, foi para a cidade de Quito, no Equador, para a fundação do Mosteiro Real da Imaculada Conceição. No caminho o demônio apareceu querendo destruir a embarcação para que o Mosteiro não fosse fundado. Mas Nossa Senhora venceu o inimigo e as águas do mar se acalmaram, pois o demônio produzia grandes ondas a fim de afundar o navio.
     Durante a tempestade, Mariana e sua tia viram no mar "uma serpente monstruosa de sete cabeças" que dizia: "Não permitirei a fundação; não permitirei que progrida; não permitirei que se conserve até o fim dos tempos e a todo momento a perseguirei".
     De fato, nesse convento de Quito, haveria uma fidelidade prometida pelo Senhor: ali, sempre existiria uma religiosa santa e o mosteiro serviria como uma espécie de para-raios, a fim de conter os castigos divinos sobre a humanidade.
     Em Quito, Mariana, não tendo idade suficiente para a vida religiosa, limitava-se a ajudar sua tia "nas fainas domésticas e na instalação dos locais de trabalho da Comunidade". Mas, tão logo cresceu fez seu noviciado e professou seus votos, vivendo uma vida cheia de visões, experiências místicas e penitências rigorosíssimas.
     Quando tinha 19 anos de idade, Madre Mariana é visitada por Jesus sofredor, que lhe mostra os castigos que cairão sobre os homens do século XX. Então, ela "Viu três espadas sobre a cabeça do Santo Cristo, e que em cada uma dizia: castigarei a heresia, a blasfêmia e a impureza. (...) A Santíssima Virgem disse então: 'Queres, minha filha, sacrificar-te por esse povo?' Ao que respondeu: 'Minha vontade está pronta'. E imediatamente as espadas se desprenderam do Santo Cristo, cravando-se no coração de Madre Mariana, a qual caiu morta pela violência da dor".
     Nesse instante, Mariana apresenta-se diante de Deus. Jesus apresenta-lhe duas coroas – "uma de glória imortal, cuja formosura ela não podia exprimir e outra de açucenas cercadas de espinhos" – e pede-lhe que faça uma escolha. Ela, compreendendo o significado das duas coroas e aconselhada pela Virgem Santíssima, escolhe, "humilde e resignada, a coroa de açucenas coroada de espinhos e voltou ao mundo para sofrer".
     Perseguida por religiosas que não queriam viver nem o rigor da regra franciscana nem uma vida de verdadeira penitência, aprisionada injustamente por quatro vezes, Madre Mariana aceitava resignada todas as humilhações e sofrimentos, oferecendo-as pelas pessoas do século XX.
"Sou Maria do Bom Sucesso, Rainha do Céu e da Terra"
     No dia 2 de fevereiro de 1594 a Santíssima Virgem apareceu pela primeira vez à Madre Mariana, então Priora das Concepcionistas. Comemora-se, pois, a 2 de fevereiro a festa litúrgica dessa admirável invocação mariana.
     Madre Mariana, com a fronte em terra, com lágrimas e suspiros, suplicava à Divina Majestade remédio para os muitos males que afligiam aquela colônia e seu convento. Ouviu então uma voz celestial que a chamava pelo nome. Viu à sua frente Nossa Senhora refulgindo em meio a imensa claridade. Trazia o Menino Jesus no braço esquerdo, e um báculo de ouro na mão direita.
     - "Sou Maria do Bom Sucesso, Rainha dos Céus e da Terra", declarou-lhe a Mãe de Deus. "Tuas orações, lágrimas e penitências são muito agradáveis a nosso Pai celestial. Quero que fortaleças teu coração e que o sofrimento não te abata. Tua vida será longa para glória de Deus e de sua Mãe, que te fala. Meu Filho Santíssimo te presenteia com a dor em todas as suas formas. E, para infundir-te o valor que necessitas, toma-O de meus braços nos teus".
     Ao tomar o Menino Jesus nos braços, sentiu um desejo maior de sofrer e de se consumir como vítima para aplacar a Justiça Divina, se possível, até o fim do mundo.
     Na seguinte aparição, em 16 de janeiro de 1599, Nossa Senhora deu-lhe conhecimento de vários fatos futuros. E declarou a Madre Mariana de Jesus:
     "É vontade de meu Filho Santíssimo que tu mandes executar uma estátua minha tal qual me vês, e a coloques sobre a cátedra da Priora para que daí governe meu Mosteiro. Que os mortais entendam que Eu sou poderosa para aplacar a Justiça Divina e alcançar piedade e perdão a toda alma pecadora que a mim recorra com coração contrito. Porque eu sou a Mãe de Misericórdia, e em mim não há senão bondade e amor".
     Durante os anos seguintes, Madre Mariana sofreu um terrível calvário e foi só a 5 de fevereiro de 1610 que o escultor foi chamado.
     Francisco del Castilho, espanhol de nobre linhagem, recebeu a encomenda como uma graça do Céu. E a 9 de janeiro seguinte declarou que a imagem estava praticamente pronta. Faltava a última demão de pintura. Ele iria procurar as melhores tintas existentes na Colônia, e voltaria no dia 16 para concluir o trabalho.
     Na madrugada desse dia, quando as religiosas se dirigiram ao Coro para rezar o Ofício, encontraram-no todo iluminado por luz sobrenatural, e ouviram vozes angélicas que cantavam o "Salve Sancta Parens".   
  Da Imagem inacabada saíam raios vivíssimos. A pintura-base aplicada por Del Castilho caía ao solo junto com aparas de madeira, os traços da Imagem tornavam-se mais suaves e sua fisionomia mais celeste. Mas somente Madre Mariana via que, como pedira, São Francisco e os três Arcanjos refaziam a Imagem.
     Francisco del Castilho lavrou um documento no qual sob juramento declarava que encontrara a imagem terminada de maneira diferente da que deixara. Entregou o documento às religiosas para perpetuar a prova do milagre.
Nossa Senhora do Bom Sucesso profetiza sobre os séculos XIX e XX
     Madre Mariana contou pessoalmente os detalhes do ocorrido ao Bispo de Quito. E acrescentou algo que nos diz muito respeito: - "É vontade de Deus reservar esta invocação e tua vida", dissera-lhe Nossa Senhora, "para aquele século, quando a corrupção de costumes será quase geral e a luz preciosa da Fé estará quase extinta" (II, 193) (2).
     Em uma aparição a 8 de dezembro de 1634, a Rainha do Céu e da Terra assim profetizou a Madre Mariana: "O meu culto sob a consoladora invocação do Bom Sucesso ... será a sustentação e salvaguarda da Fé na quase total corrupção do século XX" (II, 190).
Profecias já realizadas
     Para se avaliar a credibilidade de previsões feitas por uma pessoa, abarcando épocas diferentes, é de boa lei considerar se algumas já se cumpriram e de que modo. No caso de Madre Mariana de Jesus Torres, é historicamente comprovado que a maior parte das revelações que Nossa Senhora lhe fez se cumpriram. E com tanta exatidão, que não seria prudente pôr em dúvida o que ainda está por se realizar.
- Independência do Equador
     Entre essas várias revelações, citamos a da aparição de 16 de janeiro de 1599: "A pátria em que vives deixará de ser Colônia e será República livre, conhecida pelo nome de Equador. Então necessitará de almas heroicas para sustentar-se através de tantas calamidades públicas e privadas" (I, 67)).
- "Presidente verdadeiramente cristão" que receberá a palma do martírio
     "No século XIX haverá um presidente verdadeiramente cristão, varão de caráter, a quem Deus Nosso Senhor dará a palma do martírio na praça onde está este meu convento. Ele consagrará a República ao Divino Coração de meu Filho Santíssimo e esta consagração sustentará a Religião Católica nos anos posteriores, os quais serão aziagos para a Igreja" (Id).
- Proclamação dos dogmas da Imaculada Conceição e da Assunção de Nossa Senhora
     Na aparição de 2 de fevereiro de 1634, Nossa Senhora do Bom Sucesso entregou o Menino Jesus a Madre Mariana. Este revelou-lhe: "O dogma de fé da Imaculada Conceição de Minha Mãe será proclamado quando mais combatida estiver a Igreja e encontrar-se cativo meu Vigário. Do mesmo modo [será proclamado] o Dogma de fé do Trânsito e Assunção em corpo e alma aos Céus de minha Mãe Santíssima" (II, 87).
- O Santo Cura d'Ars
     Na última aparição à sua fiel serva, em 8 de dezembro de 1634, ao falar da decadência do Clero no século XX, Nossa Senhora anunciou também a presença do Cura D'Ars nestes termos: "Os sacerdotes, a partir do século XIX, deverão amar com toda a alma João Maria Vianney, um servo meu que a Bondade Divina prepara para com ele agraciar aqueles séculos como modelo exemplar do sacerdote abnegado" (II, 191).
* * *
Algumas profecias que se estão cumprindo
     Para indicar o agente da crise tão catastrófica que descreve em suas profecias sobre os séculos XIX e XX, Nossa Senhora do Bom Sucesso se refere às heresias em geral e às seitas, ou simplesmente à seita. Essas heresias ou seitas teriam poder para estender suas garras desde o recinto sagrado do Templo até o lar, influenciando perniciosamente todos os campos da atividade humana.
- Libertinagem, impureza, corrupção das mulheres e crianças
     “A seita, havendo-se apoderado de todas as classes sociais, "possuirá sutileza para introduzir-se nos ambientes domésticos, que perderão as crianças. Nesse tempo infausto mal se encontrará a inocência infantil. Desta forma perder-se-ão as vocações para o sacerdócio e será uma verdadeira calamidade" (II, 135).
- A virgindade praticamente desaparecerá
     "A atmosfera saturada do espírito de impureza que, à maneira de um mar imundo, correrá pelas ruas, praças e logradouros públicos... Quase não haverá almas virgens no mundo. A delicada flor da virgindade, tímida e ameaçada de completa destruição, luzirá de longe" (II, 135).
- Porta aberta para o divórcio, concubinato, filhos ilegítimos, educação laica...
     "Quanto ao Sacramento do Matrimônio, que simboliza a união de Cristo com a Igreja, será atacado e profanado em toda a extensão da palavra. .... Impor-se-ão leis iníquas com o objetivo de extinguir esse Sacramento, facilitando a todos viverem mal, propagando-se a geração de filhos malnascidos, sem a bênção da Igreja. Irá decaindo rapidamente o espírito cristão.
     "Apagar-se-á a luz da Fé até se chegar a uma quase total e geral corrupção de costumes. Acrescidos ainda os efeitos da educação laica, isto será motivo para escassearem as vocações sacerdotais e religiosas" (II,6 e 7).
- Dar-se-á pouco valor à Extrema-Unção
     "Nesse tempo o Sacramento da Extrema Unção, posto que faltará nesta pobre Pátria o espírito cristão, será pouco considerado. Muitas pessoas morrerão sem recebê-lo por descuido das famílias...
- A Sagrada Eucaristia será profanada e calcada aos pés
     "O mesmo sucederá com a Sagrada Comunhão. Mas, ai! quanto sinto ao te manifestar que haverá muitos e enormes sacrilégios públicos e também ocultos de profanação da Sagrada Eucaristia. .... Meu Filho Santíssimo ver-Se-á jogado ao chão e pisoteado por pés imundos".
     “Chegarão momentos nos quais parecerá tudo perdido. Então é chegada a minha hora, na qual Eu, de uma maneira assombrosa, destronarei ao soberbo Satanás, pondo-o abaixo de meus pés, encadeando-o no abismo infernal, deixando por fim livres a Igreja e a Pátria dessa cruel tirania”.
    No livro “A Vida Admirável da Rvda. Madre Mariana de Jesus Torres”, Frei Manoel relata pormenorizadamente as três mortes e duas ressurreições de Madre Mariana, sua atuação como religiosa modelar, seus sofrimentos e lutas, os estigmas de Nosso Senhor Jesus Cristo (os quais ela recebeu aos 25 anos) e outros fatos extraordinários de sua admirável vida mística.
     Seu corpo incorrupto se conserva, desde sua derradeira morte em 16 de janeiro de 1635, na capela de seu mosteiro.

Fontes:
http://catolicismo.com.br/
https://padrepauloricardo.org/


Corpo incorrupto de Madre Mariana de Jesus Torres,
que se encontra no Mosteiro em Quito, Equador





Nenhum comentário:

Postar um comentário