segunda-feira, 12 de junho de 2017

Beata Mariana Biernacka, Mãe de família e Mártir 13 de junho

     
     No dia da festa de Santo Antônio de Pádua, grande figura da Cristandade, o calendário litúrgico também cita uma figura de nosso tempo: Mariana Biernacka.
     O ódio racial do nazismo provocou mais de cinco milhões de vítimas entre a população civil polonesa: muito religiosos, sacerdotes e leigos católicos. Principal figura do grupo de nove leigos é a Beata Mariana Biernacka, da diocese de Lomza, na Polônia. A história desta mulher é muito parecida com a de Santo Maximiliano Kolbe, franciscano, que foi canonizado por João Paulo II.
     Mariana nasceu em 1888 em Niemowicze, Grodno (Polônia), em uma família de cristãos ortodoxos e se converteu ao catolicismo aos 17 anos, em 1905, juntamente com seus familiares. Na idade de 20 anos casou-se com Ludwik Biernacki, e o casal teve seis filhos. Ao ficar viúva, foi viver com seu filho Estanislau e sua esposa, convivendo com o jovem casal demonstrando-lhes sabedoria cristã e amor fraterno a eles e a seus filhos. Entre as pessoas do local ela era conhecida por sua bondade e profunda religiosidade.
     Em 1 de julho de 1943 as forças nazistas começaram a aprisionar e executar em Lipsk, como vingança pela morte de soldados alemães em uma cidade próxima. Os soldados aprisionaram seu filho Estanislau e sua nora, que estava grávida. Mariana, para salvar a vida da mãe e do futuro neto, se ofereceu para ser levada no lugar daquela. A troca foi aceita e Mariana Biernacka foi assassinada no dia 13 de julho de 1943, aos 55 anos, em Niemowicze, Grodno, então parte da Polônia, atualmente parte do território da Bielorrússia.
     Foi beatificada junto com cento e oito mártires da Polônia por João Paulo II no dia 13 de junho de 1999, em Varsóvia, Polônia.


Martirológio Romano: Na aldeia de Niemowicze, próximo de Grodno, na Polônia (hoje Bielorrússia), beata Mariana Biernacka, mãe de família e mártir, que durante a ocupação militar em tempo de guerra, se entregou aos soldados para salvar sua nora grávida, sendo fuzilada imediatamente, alcançando assim a palma do martírio.



Nenhum comentário:

Postar um comentário